Categoria ‘Animais Silvestres’

PostHeaderIcon O esquilo

O esquilo vive normalmente em florestas de coníferas, mas em muitos países também vive em parques e jardins.
Sobe e desce com facilidade pelos troncos das árvores. Costuma mover-se à volta do tronco, fazendo uma espiral.
Uma espécie de esquilo voador vive no norte da Europa, entre as patas anteriores e posteriores, dispõe de amplas pregas de pele que lhe servem de paraquedas.

esquilo-7443

PostHeaderIcon Colibri

colibris

Colibri é um género de beija-flores que ocorre na América Central e do Sul. O grupo inclui quatro espécies, três das quais existentes no Brasil. Habitam zonas de floresta montanhosa.
Os beija-flores do género Colibri têm entre 12 e 14 cm de comprimento e são relativamente grandes para o seu grupo. A sua plumagem é à base de verde brilhante menos o beija-flor-marrom. Todas as espécies do grupo têm uma mancha de cor violeta atrás dos olhos, de penas tufadas. A cauda é larga e arredondada e o bico é rectilíneo. As fémeas distinguem-se pelas manchas violetas de menores dimensões.

Estes beija-flores são aves sedentárias, menos a espécie Colibri thalassinus, que migra até às regiões Norte dos Estados Unidos da América. São muito territoriais e agressivos e é comum atacarem outros beija-flores em zonas de alimentação.

www.animais.noradar.com

PostHeaderIcon Cachorro-vinagre

Nome popular: Cachorro-vinagre
Nome científico: Spheotos venaticus
Onde vive: Panamá, Peru, Brasil Central
Quanto pesa: 7 quilos
Quanto vive: 10 anos
Quanto mede: 75 cm
Habitat: Cerrados e savanas
Filhotes: Quatro a seis, gestação de 65 dias

O cachorro-vinagre é um daqueles animais que nunca foi abundante na natureza e por isso mesmo especialistas do mundo inteiro tentam reproduzi-lo em cativeiro, o que foi feito com muito sucesso na Alemanha. Daquele país vieram vários desses animais para zoológicos brasileiros, onde agora o cachorro-vinagre começa a se multiplicar, mas mesmo assim é um dos animais considerados sob ameaça na lista publicada pelo Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e Recursos Naturais Renováveis (Ibama).

Embora seja canídeo, o cachorro-vinagre tem um rabo muito curto e o menor número de dentes na família do cachorro, apenas 38. O nome cachorro-vinagre deriva de sua cor, avinagrada, mas pouca coisa se sabe sobre o animal, que hoje vive em 34 zoológicos ao redor do mundo, que têm 162 exemplares. O interessante é que, se mantidos juntos pais e filhos, só a fêmea principal se reproduz.

Caçador cooperativo, o cachorro-vinagre caça com a família, inclusive filhotes, e é tão bom nadador que, se sua presa tenta fugir pela água, ele vai capturá-la no meio do rio ou do lago.

Esse animal é corajoso também. Ataca presas muito maiores do que ele e, quando vai ter os filhotes, a fêmea expulsa um tatu ou outro animal da toca e toma conta do buraco. O cachorro-vinagre se alimenta de roedores, principalmente paca, cutia e capivara.

fonte:www.portalsaofrancisco.com.br

PostHeaderIcon Macaco barrigudo

Ordem: Primates
Família: Cebidae
Nome popular: Macaco-barrigudo
Nome em inglês: Woolly monkey
Nome científico: Lagothrix lagotricha
Distribuição geográfica: Regiões da Floresta Amazônica brasileira, colombiana e venezuelana
Habitat: Florestas úmidas
Hábitos alimentares: Onívoros
Reprodução: Gestação de 225 dias, nascendo geralmente um filhote
Período de vida: Aproximadamente de 24 anos

O macaco-barrigudo (Lagothrix lagotricha) é um primata que habita florestas úmidas e primárias inundadas e não inundadas, na região da Floresta Amazônica brasileira, colombiana e venezuelana. É um animal que possui uma coloração pálida, marrom escura ou cinza, puxando para o preto.

Alimentam-se principalmente de frutas, mas também comem sementes, gomas, flores e algumas presas animais. Chegam a ingerir aproximadamente 30% do peso de seu corpo, em alimentos, em um único dia.

Possuem hábitos diurnos, são arborícolas e gregários, ou seja, vivem em grupos. Estes grupos geralmente são compostos de cerca de 30 indivíduos, mas podem variar de 5 a 70. Possuem uma cauda preênsil e longa, de até 72 cm, que funciona como um quinto membro, pois conseguem apoiar o corpo apenas com ela. No chão costumam andar de forma bípede e emitem cerca de 14 tipos de vocalizações diferentes.

A gestação dura 225 dias, nascendo geralmente um filhote. Ele permanece agarrado à mãe, que o amamenta ao longo de 9 a 12 meses. Ao nascer, o filhote pesa cerca de 140 g, mas o peso em um animal adulto chega até 10 kg nos machos. Atingem a maturidade sexual após os 5 anos e chegam a viver 24.
Maristela Leiva
Bióloga

fonte:  WWW.ZOOLOGICO.SP.GOV.BR

PostHeaderIcon Veado catingueiro

Classe: Mammalia

Ordem: Artiodactyla

Família: Cervidae

Nome científico: Mazama gouazoubira

Nome vulgar: Veado-catingueiro

Categoria: Ameaçado

Características físicas
Sua pelagem é marrom-acinzentada, mais escura no meio do dorso e com o ventre mais claro, próximo do branco. A garganta e a parte inferior da cauda são esbranquiçadas e o pescoço acinzentado. A testa tem um tufo de pêlos escuros e os chifres, que só existem no macho, são galhadas simples e retas, sem ramificações, que atingem no máximo 12 cm de comprimento.

As fêmeas, ao invés de chifres, tem apenas uma elevação e sua pelagem é um pouco mais clara que a do macho. A maioria dos indivíuos tem uma pinta branca acima dos olhos que é inexistente nas outras espécies. O comprimento do adulto varia entre 902 cm e 1,25 cm.

O peso pode variar entre 11 a 25 kg, ficando geralmente próximo dos 17 kg.

Alimentação: dieta ampla que inclui broto de gramíneas, leguminosas, frutas e flores.

Biologia e comportamento social: tem hábitos noturnos e diurnos; costuma sair pela manhã, sozinho ou aos pares, para se alimentar.

Reprodução: solitário, reprouz-se em todos os meses do ano e pressente a fêmea a grande distância. Eles ficam juntos por uma ou duas semanas e, após uma gestação de aproximadamente 206 dias, a fêmea tem um único filhote que pesa cerca de 500 g. A pelagem do filhote é marrom, salpicada de pintas brancas distribuídas pelos flancos.

Predadores: cachorro doméstico, cachorro-do-mato e felinos, como onças.

Longevidade: média de 20 anos.

Habitat: matas densas que margeiam os rios. Pode ser encontrado também em campos abertos onde existe matas próximas.
fonte:www.leonardovianet.blogspot.com

PostHeaderIcon Bicho-preguiça

Parece um macaco, muito peludo e sempre pendurado nas árvores, mas é muito parado para ser um macaco. Leva a vida em câmera lenta, o danado do bicho-preguiça.

A preguiça é um mamífero sem dentes que vive pendurado nas árvores brasileiras. Elas têm um rosto pequeno e parecem que estão sempre sorrindo. As preguiças só comem uma coisa: folhas de embaúba, uma árvore que por isso ficou conhecida como árvore-da-preguiça. Esses bichos são assim preguiçosos por causa do calor. Como eles têm o corpo coberto de pêlos grossos, não podem se agitar muito porque senão suam para valer.

Não existe apenas um tipo de preguiça. Algumas são acinzentadas e têm três dedos como os da espécie Bradypuus tridactylus. As preguiças da espécie Choloepus didactylus têm apenas dois dedos. Uma outra espécie, Bradypuus torquatus, conhecida como bicho-preguiça-de-coleira, tem pelagem amarelada e faixas negras na nuca. A preguiça-de-coleira está ameaçada de extinção.

Animais de hábitos solitários, os machos e as fêmeas só se encontram para acasalar. A gestação dura de seis a oito meses, nascendo apenas um filhote, entre os meses de agosto e setembro. Quando adulto, um bicho preguiça pode pesar até cinco quilos e medir 59 centímetros da ponta do nariz a ponta da cauda. O filhote mama durante um mês, permanecendo com a mãe até os cinco meses, para aprender a se locomover e se alimentar sozinho. Atualmente, o homem é seu principal predador, já que os predadores naturais, aves de rapina e grandes felinos, estão em extinção.

O bicho-preguiça é um animal bem comum no Brasil. Será por isso que o brasileiro tem fama de preguiçoso? Acho que se pensarmos bem, não existe nenhum brasileiro tão paradão quanto um bicho-preguiça…

fonte:www.portalsaofrancisco.com.br

PostHeaderIcon Tucano de bico preto

Características
Mede cerca de 46 cm e sua plumagem é totalmente negra, com a garganta amarelo-alaranjada, peito vermelho e crisso vermelho.

Asas curtas e arredondadas e cauda e bico longos. Pernas e pés fortes, azulados, providos de unhas em garras fortes. A pele ao redor dos olhos é vermelha e o bico é quase que inteiramente negro, leve e cortante, possuindo a base amarela. Possui algum dimorfismo sexual, sendo machos adultos mais pesados e possuindo o bico mais longo.

Habitat
Florestas úmidas, virgens e secundárias, tanto no interior quanto nas bordas, e em capoeiras altas.

Ocorrência
Oeste -setentrional da América do Sul cisandina desde as Guianas, passando pela Venezuela e Bolívia, até a margem esquerda do baixo Amazonas em direção ao oeste de Goiás e Mato Grosso, ocorrendo também em Pernambuco, Alagoas, Rio de Janeiro, Leste de Minas Gerais, São Paulo e Santa Catarina.

Hábitos
É gregário e arborícola. Vive em bandos de tamanhos variáveis, porém nunca muito grandes. Gostam de dormir sempre juntos e com o bico escondido entre as asas, cobrindo a cabeça com a cauda. São grandes dispersores de sementes. Excelente saltador e voador. Vôo lento mantendo sempre o pescoço esticado.

Alimentação
Principalmente de frutos. Apanham também animais vivos, como pássaros e ratos. Sementes, insetos, aranhas, ovos e filhotes de outras aves.

Reprodução
Faz ninho em um oco de árvore onde a fêmea deposita de 2 a 4 ovos brancos, medindo 38 x 28 mm em seus eixos. A fêmea se encarrega da incubação que dura em torno de 18 dias. Neste período é alimentada pelo macho. Os filhotes nascem sem penas e permanecem no ninho por 40 a 50 dias. São alimentados pelos pais até que possam sair sozinhos do ninho.

Ameaças
Perda de habitat necessário para que a espécie se mantenha, caça predatória e o tráfico de animais.

FONTE:WWW.PORTALSAOFRANCISCO.COM.BR