Categoria ‘Animais’

PostHeaderIcon O esquilo

O esquilo vive normalmente em florestas de coníferas, mas em muitos países também vive em parques e jardins.
Sobe e desce com facilidade pelos troncos das árvores. Costuma mover-se à volta do tronco, fazendo uma espiral.
Uma espécie de esquilo voador vive no norte da Europa, entre as patas anteriores e posteriores, dispõe de amplas pregas de pele que lhe servem de paraquedas.

esquilo-7443

PostHeaderIcon Eu conheço um jacaré

jacare-colorido

Eu conheço um jacaré que gosta de comer
Esconda seu nariz
Senão o jacaré come o seu nariz e o dedão do pé

Eu conheço um jacaré que gosta de comer
Esconda seus olhinhos
Senão o jacaré come seus olhinhos e o dedão do pé

Eu conheço um jacaré que gosta de comer
Esconda suas orelhas
Senão o jacaré come suas orelhas e o dedão do pé

Eu conheço um jacaré que gosta de comer
Esconda sua boca
Senão o jacaré come sua boca e o dedão do pé

jacare-para-colorir
Clique no jacaré para ampliar e imprimir

PostHeaderIcon Coelho

coelho

Os coelhos são mamíferos, caracterizam-se pela cauda curta e as orelhas e patas compridas. Esses mamíferos encontram-se facilmente em muitas regiões do planeta. O termo é utilizado para referir as espécies de oito gêneros, são herbívoros, ou seja, alimentam-se de folhas, caules, raízes e alguns tipos de grãos.

Um coelho pode viver entre 5 e 10 anos, uma fêmea em fase reprodutiva pode dar de 3 a 6 ninhadas por ano. Em cada ninhada podem nascer de 3 a 12 filhotes. Nas matas e florestas, vivem em buracos ou em tocos de árvores.

Os coelhos selvagens tem hábitos noturnos para fugirem de seus predadores, procuram alimentos durante a noite. Já os coelhos domésticos possuem hábitos noturnos e diurnos.

O peso varia de acordo com a raça ( de 2 kg até 9 kg). A maioria das raças tem por volta de 3 a 4 quilos na fase adulta, sua gestação é de 30 a 40 dias, possui cores diversificada, porém as mais comuns são preto, branco, malhado, amarelado e acastanhado.

www.animais.noradar.com

PostHeaderIcon Gatinho fofo – Wallpaper

gatinho-brincando

Gatinho fofo
Papél de parede 1024×764

http://gatinhosfofos.noradar.com

PostHeaderIcon Colibri

colibris

Colibri é um género de beija-flores que ocorre na América Central e do Sul. O grupo inclui quatro espécies, três das quais existentes no Brasil. Habitam zonas de floresta montanhosa.
Os beija-flores do género Colibri têm entre 12 e 14 cm de comprimento e são relativamente grandes para o seu grupo. A sua plumagem é à base de verde brilhante menos o beija-flor-marrom. Todas as espécies do grupo têm uma mancha de cor violeta atrás dos olhos, de penas tufadas. A cauda é larga e arredondada e o bico é rectilíneo. As fémeas distinguem-se pelas manchas violetas de menores dimensões.

Estes beija-flores são aves sedentárias, menos a espécie Colibri thalassinus, que migra até às regiões Norte dos Estados Unidos da América. São muito territoriais e agressivos e é comum atacarem outros beija-flores em zonas de alimentação.

www.animais.noradar.com

PostHeaderIcon Borboleta de restinga

A borboleta da praia ou borboleta da restinga é da espécie “Parides ascanius”, possui 10 cm de envergadura de asa, suas asas são pretas com faixas brancas, com pares de asas inferiores acrescentando vermelho e rosa em alguns indivíduos. Atualmente, a espécie é muito encontrada na região da praia de Atafona, município de Campos, Rio de Janeiro.
A “Parides ascanius” é endêmica em áreas de restingas do litoral norte fluminense. Na fase de lagarta alimenta-se da planta “jarrinha” vegetal da espécie “Aristolochia macroura”. A espécie sofre processo de extinção em virtude da especulação imobiliária.
As restingas onde vivem são ecossistemas arenosos e pulodosos, a construção de edificações diminui a propensão da planta “jarrinha”, e a lagarta que é monófaga, come apenas um tipo de alimento, fica sem fonte de alimentação. A formação de áreas de proteção ambiental é uma forma de mitigar o ritmo de extinção e proteger o ecossistema da espécie.
Na fase adulta, a espécie desenvolve uma defesa por ser implacável, ou seja, ao ser ingerida causa a morte do predador. O seu predador natural é a vespa “trycograma”, que parasita a borboleta em sua fase de lagarta.

fonte: www.faunaextinçao.blogspot.com

PostHeaderIcon On?a-negra


Reino: Animalia
Filo: Chordata
Classe: Mammalia
Ordem: Carnivora
Família: Felidae
Género: Panthera onca

O termo “Pantera Negra” é usado como referência aos grandes felinos negros.

Entretanto, não há uma espécie distinta de Felino chamada Pantera Negra. Ao longo dos anos o termo “Pantera Negra” vem sendo usado como um nome comum que aplica-se a qualquer grande felino que possui uma pelagem negra. Quando vemos uma foto de uma Pantera Negra, é muito provável que estejamos vendo a foto de um Leopardo ou possivelmente uma Onça com coloração melanística.

O termo Melanística é derivado da palavra “Melanina”, um pigmento colorido escuro da pele e do cabelo.

Nos felinos, o melanismo resulta em animais com pelagem inteiramente negra. Em muitos casos as pintas, tão características nas Onças e nos Leopardos podem ser vistas em determinados ângulos sob a luz do Sol.
O Melanismo ocorre devido a um mutação ou anormalidade de um dos genes dos felinos, no qual é associado com as marcas e coloração da pele. O Melanismo é hereditário, mas não é necessariamente passado de uma geração para outra. Entretanto, é comum ver uma ninhada de filhotes mista, com um filhote negro normalmente junto com seus irmãos com pelagem colorida.

O Melanismo também pode ocorrer com outras espécies de felinos selvagens, os chamados pequenos felinos – Caracal, Gato de Geoffrey, Gato Maracajá Mirim, Bobcat, Jaguatirica, Jaguarundi e Serval.

Leopardos com características melanísticas são mais frequentemente encontrados em florestas tropicais densas do Sudeste da Ásia – acredita-se que sua coloração escura seja uma camuflagem perfeita no interior das florestas em condições onde há pouca luz solar, o que é uma grande vantagem na hora da caça.

fonte:www.portalsaofrancisco.com.br

PostHeaderIcon Animais – Canguru

Canguru para colorir

Canguru

Palavra “canguru”  – de um idioma australiano que significa “não sei”.

Seu habitat restringe-se à Austrália (na Oceania) e suas proximidades. Descendem dos mais antigos mamíferos. Os cangurus podem chegar a uma velocidade de 20 a 30 km/h.

Dentro da família dos cangurus, podem distinguir-se vários grupos: O primeiro grupo inclui os grandes cangurus, entre os quais se destaca: o canguru-gigante (também chamado canguru-cinza) e o canguru-vermelho. As duas espécies mais conhecidas e de maior tamanho que existem; Os ualabis (ou walabis), menores e de cores mais brilhantes que as espécies grandes; Os cangurus arborícolas, animais robustos e de caudas longas, com as patas anteriores e posteriores de comprimento semelhante.
O segundo grupo é formado pelos: ratos-cangurus ou potorus, animais de pequeno porte, cujo aspecto lembra o de um rato. O terceiro grupo inclui uma só espécie: o rato-almiscarado-marsupial, que é um animal pequeno, parecido com um rato, com a cauda escamosa e sem pêlos.

Características dos cangurus
Entre as maiores espécies pokie machine games online, o macho atinge a altura de 1,5 m, e a fêmea é de menor estatura. Todos os membros desse grupo distinguem-se pela presença na fêmea de uma bolsa marsupial aberta na frente, com quatro tetas no interior, das quais duas dão leite continuamente.

Os cangurus tem as orelhas grandes e móveis, as patas posteriores longas e robustas e as extremidades anteriores curtas. A cauda é grande e musculosa e o animal costuma usá-la como apoio quando caminha ou está sentado ou, ainda, como instrumento de equilíbrio quando salta.

Filhotes
Os filhotes nascem após umas três semanas de gestação, não desenvolvidos de todo, cegos, completamente glabros (isto é, sem pêlos), com orelhas muito pouco visíveis, membros ainda curtos, surpreendem pelo reduzido tamanho: têm pouco mais de 2 cm e ficam no marsúpio até os 6 meses, sem jamais descerem em terra firme. No sétimo mês dão os primeiros passos e só depois de um ano completo se tornam independentes.

Classificação científica
Família: Macropodídeos
Ordem: Marsupiais

PostHeaderIcon Cuidados com gatos

Cuidados com o filhote:
Antes de escolher seu gatinho, pense no que você quer:
Um animal macho ou fêmea; um filhote ou um gato adulto; um gato de pêlo curto ou longo (que geralmente precisa de mais atenção e cuidados especiais); uma raça que prefere ficar dentro de casa ou outra que goste de ambientes ao ar livre. Avalie esses fatores para depois não se frustrar com o bichano.
Ao nascerem, os gatinhos têm aproximadamente 13 centímetros de comprimento e pesam entre 60 e 140 gramas. Eles só abrem os olhos completamente quando completam 20 dias. A maioria dos gatinhos têm olhos azuis quando nascem, mas depois de dois ou três meses de vida, ganham outra cor, para vida inteira. A recepção ao novo membro da família requer uma série de cuidados e você terá que zelar pela sua alimentação, instalações, alimentação e saúde.

CONSELHOS ÚTEIS:

  • É preciso acostumar o gato a ter um cantinho só dele. O local deve ser limpo, acolhedor, seco e longe de correntes de ar.
  • Uma caixa ou um cesto fundo é o ideal para a cama. Pode-se forrá-la com palha, papel ou um acolchoado (se você optar pelo último, não se esqueça de colocar a cama do gato ao sol, pelo menos uma vez por semana).
  • Não alimente o gatinho somente com peixes, pois isso poderá causar deficiência de vitamina.
  • Não forneça somente carnes, pois correrá o risco de provocar deficiência de cálcio e vitaminas
  • Não dê alimentos específicos para cães, porque este alimento não é balanceado para gatos.
  • Deixe dois potes à disposição do gato, um com ração e o outro com água. Tome cuidado para não comprar potes muito fundos, o ideal são tigelas pequenas e rasas.
  • Se o seu gatinho sempre deixa ração no pote e depois de pouco tempo pede mais, comece a dar porções menores de comida. Alguns gatos preferem comer pouco, mas várias vezes ao dia.
  • Não alimente os gatos com clara de ovo crua: ela contém avidina, que neutraliza a biotina.
  • Não dê carne crua, para evitar a toxoplasmose.
  • Comida gordurosa é péssima para os gatos tanto quanto para os humanos.
  • Açúcar não só estraga os dentes como engorda; além disso, alguns alimentos, como o chocolate, são tóxicos para o gato.
  • Animais obesos são muito mais propensos a doenças.

Fonte: www.nutriara.com.br

PostHeaderIcon Jacutinga

Classe: Aves

Ordem: Galliformes

Família: Cracidae

Nome científico: Pipile jacutinga

Nome vulgar: Jacutinga

Categoria: Vulnerável

Características
Possui plumagem negra brilhante, com manchas brancas nas asas e as penas do píleo (alto da cabeça) também são brancas, além de bastante alongadas e eriçáveis. Face toda emplumada de negro, com região perioftálmica (em volta do olho) nua, de cor branco-gesso. A base do bico é azulada.

A barbela (saliência da pele na garganta) é larga e provida de pouquíssimas penas. É vermelha em sua porção posterior, enquanto que a anterior é dividida em uma área lilás superior e outra azul brilhante inferior. O colorido da barbela torna-se bastante acentuado durante o período reprodutivo, enquanto que fora deste, as cores ficam esmaecidas e mesmo a barbela encolhe.

O macho é mais robusto e sua barbela e bico são mais coloridos.

Habitat
Mata alta, abundante em palmitos cujos frutos são seu alimento predileto. Na serra do mar realiza migrações altitudinais seguindo a frutificação das palmeiras, cujos frutos amadurecem mais cedo em altitudes inferiores.

Alimentação
Parte expressiva de seu alimento consiste nos frutos dessas palmeiras, como o palmito e o licuri (Syagrus). Deles, ela retira a polpa no papo e regurgita, em seguida, os duros coquinhos que sobram. Por isso, acredita-se ter papel relevante na disseminação de várias espécies vegetais. Também se alimenta de frutas e insetos. São monogâmicos (possuem somente um/a parceiro/a) e o macho alimenta a fêmea.

Medidas
700 a 780 mm – Asa: 360 – Cauda: 286 – Bico: 36 – Tarso: 65.

Nidificação
Podem fazer posturas sobre galhos grossos, ramificações de troncos e rochas, quase sem material de construção.

Reprodução
2 a 3 ovos brancos resistentes, com convexidade igual nas duas pontas.

Incubação
28 dias.

Os filhotes já nascem com os olhos abertos e movimentam-se livremente, apesar de sempre acompanhados pela mãe, abrigando-se sob sua cauda ou suas asas. Mesmo empoleirados, enquanto seu tamanho lhes permite, abrigam-se embaixo das asas da mãe durante o seu desenvolvimento.

Peso: 1,1 a 1,4 Kg.

Comprimento: 74 a 78 cm.

Ocorrência Geográfica
Espécie nativa da Floresta Atlântica distribuindo-se pela região sudeste do Brasil, do sul da Bahia ao Rio Grande do Sul. Era encontrada na Serra do Mar, em locais acidentados, semeados de rochas cobertas por mata espessa, onde nidificava. Ocorre também na Argentina, Paraguai e Uruguai.

Cientista que descreveu: Spix, 1825

Categoria/Critério
Ameaçada devido à caça, ao tráfico e à inclemente destruição de seu habitat natural. Vulnerável (classificação da UICN). Listada no Anexo I da CITES.

fonte:WWW.PORTALSAOFRANCISCO.COM.BR

PostHeaderIcon Cobra papa-pinto

Nome popular: Papa Pinto, Jararacuçu do Papo Amarelo.
Classe: Reptilia
Ordem: Squamata
Família: Colubridae
Nome científico: Drymarchon corais
Nome inglês: Indigo snake
Distribuição: Américas do Norte, Central e do Sul
Habitat: Florestas e cerrado
Hábito: Diurno
Particularidades: É uma cobra grande, chegando a medir 2,00m. Caça durante o dia, geralmente em brejos, utilizando a língua (quimiorrecepção) e a visão para localizar a presa. Quando irritada, infla a parte do corpo perto da cabeça para dar a impressão de ser maior, com intenção de intimidar o predador.
Reprodução: Ovípara, coloca entre 16 e 20 ovos com o nascimento previsto para início da estação chuvosa.
Hábitos alimentares: alimenta-se de vários tipos de presas, inclusive outras cobras.

NÃO É VENENOSA

fonte:www.saudeanimal.com.br

PostHeaderIcon Sagui branco

Nome vulgar: SAGUI BRANCO
Classe: Mammalia
Ordem: Primates
Família: Callithricidae
Nome científico: Callitrix argentata
Nome inglês: Silvery marmoset
Distribuição: Sul do rio Amazonas (entre os rios Tapajós e Tocantins)
Habitat: Florestas tropicais e subtropicais
Hábito: Diurno
Comportamento: Grupo de até 15 indivíduos
Longevidade: 16 anos
Maturidade: Fêmea – 20 a 24 meses, Macho – 9
Época reprodutiva: Durante todo o ano
Gestação: 4 a 5 meses
Desmame: Aos dois meses
Nº de filhotes: 1 a 4 (Normalmente)
Peso adulto: 230 a 453 g
Peso filhote: 30 g
Alimentação na natureza: Insetos, ovos, frutas, pequenos vertebrados
Alimentação em cativeiro: Frutas, ovos e insetos
Causas da extinção: Tráfico de animais.
São monogâmicos, passam o dia à procura de alimentos entre os galhos das copas das árvores, de onde saltam com facilidade. À noite, dormem nas árvores. Raramente, descem ao solo. Quando ameaçado, emite guinchos muito agudos, alertando todo o grupo.
Vivem em grupos familiares, constituídos pelos pais, pequenos filhotes e todos os filhos do “casamento”.

fonte:www.saudeanimal.com.br

PostHeaderIcon Cisne negro

Nome Popular: CISNE NEGRO
Nome Científico: Cygnus atratus
Categoria: Aves Ornamentais
Subcategoria: Aves Aquáticas

Cisne Negro Cygnus atratus O Cisne Negro tem como origem a Austrália, é comum no oriente e ocidente do continente, se ausentando na área arida central e na parte humida do norte, também é encontrado na Tansmania. Não é uma ave migratória mas percorre grandes distancias a procura de alimentação. Foi introduzido na Nova Zelândia, onde se reproduziu de tal forma, que se transformou em uma praga.

Foi controlada esta superpopulação e agora existe uma colônia de 60.000 aves Habita os lagos, mas pode ser encontrado em qualquer local que tenha água incluindo a costa marinha e ocasionalmente o mar aberto.

Demonstra preferência por lagos onde pode alcançar com seu grande pescoço a vegetação aquática no fundo a uma profundidade de um metro. Aninham durante a temporada de chuva em colônias muitas delas com os ninhos muito próximos um do outro. Uma vez acasalados os cisnes permanecem por toda vida Fazem o ninho em pequenas ilhas ou ao redor dos lagos e muitas vezes sobre as plantas aquáticas, normalmente o ninho é uma acumulação de plantas aquáticas e pode alcançar grandes proporções consideráveis, dois ,metros de diâmetro por um de altura.

A ninhada consiste de quatro a sete ovos verdes pálidos, podendo ser encontrados até dez ovos, a postura é feita a freqüência de um ovo por dia e o choco começa após a postura do ultimo ovo, tanto o macho quanto a fêmea realizam a incubação sendo que a fêmea fica a maioria do tempo e o macho sempre ao redor do ninho, atacando qualquer animal que passe por perto inclusive o homem, o nascimento acontece ao redor de 35 dias.

Os filhotes nascem brancos e como os outros cisnes passeiam nas costas dos pais quando pequenos, começam a voar após os seis meses de idade e ficam adultos a partir de dois anos. Ambos os gêneros possuem a mesma aparência , de comprimento entre 1,2 a 1,4 metros, os machos (6,3 a 8,7 kg)são um pouco maiores que as fêmeas (5,1 kg), as asas com extensão de 1,6 a 2 metros.

Para os mais observadores pode se notar uma diferença de comprimento de rabo entre macho e fêmea, observa-se os animais dentro da água pelo ângulo e comprimento de rabo formado entre, rabo e nível da água, o rabo do macho é maior. A alimentação deve ser oferecida ao lado da água do viveiro ou sobre a água, ração de postura de galinha e verdura, deve se tomar muito cuidado para não estragar a ração através da umidade
www.portalsaofrancisco.com.br