PostHeaderIcon De que lado estão sul, leste e oeste?

O ponteiro da bússola mostra onde é o norte.
Mas como sabemos de que lado ficam
o sul, o leste e o oeste?

Sabendo onde é o norte,
fique de frente para ele.
As suas costas estará o sul,
a sua esquerda estará o oeste,
e a sua direita estará o leste.

Há outro modo de saber onde ficam
o leste e o oeste:
O sol nasce no leste
e se põe no oeste.

rosadosventos

PostHeaderIcon Mico Leão Preto

Nome Comum: MICO LEÃO PRETO
Ordem: Primata.
Habitat: Floresta Atlântica
Distribuição geográfica: É um primata endêmico da Mata Atlântica do Interior, ocorrente no oeste do Estado de São Paulo, Brasil

Esta espécie está extremamente ameaçada de extinção (1996 IUCN Red List of Threatened Animals), suas populações conhecidas estão confinadas a sete fragmentos florestais privados e duas unidades de conservação estaduais sem conexão umas com as outras.

Longevidade: 15 anos
Maturidade: Fêmea- 18 meses, Macho- 24 meses
Época reprodutiva: Setembro a março
Gestação: 125 a 132 dias
Nº de filhotes: 1 a 3. O filhote quando nasce é assistido tanto pela mãe quanto pelo pai.
Peso adulto: 360 a 710g
Peso filhote: 60 g
Alimentação na natureza: Frutas, insetos, ovos, pequenos pássaros e lagartos
Hábitos: Pula de árvore em árvore com muita agilidade. Se abriga em ocos de árvores e em rochas.
Curiosidades: Geralmente viaja em pequenos grupos.

 

PostHeaderIcon Vamos colecionar selos

Como as vezes, o destinatário se recusava a receber uma carta e portanto a pagar a taxa, o correio da Inglaterra sofria prejuizos. Criou-se, então, nesse país, em 1837, o selo postal, que era fixado na carta, comprado por quem o enviava. Foi o Brasil, imitando o exemplo da Grã-Bretanha, o segundo país do mundo e o primeiro da Amárica a adotar o selo postal. Em 1843, foi emitido o famoso “Olho de boi” e, pouco depois, o “Olho de cabra”, ambos ainda sem picote.
Quando chegar uma carta em sua casa, peça para os seus pais retirarem o selo do envelope através do vapor da chaleira. Deixe o selo secar, e guarde-o dentro de um envelope para começar a sua coleção.

olho-de-boi

selos-flintstones

PostHeaderIcon Vamos fazer um arco-íris

O céu, quando chove, é pesado, escuro, cinzento.
E quando brilha o sol, é claro e sereno.
As vezes pode acontecer que chova e faça sol ao mesmo tempo.
Então, como que por magia,
No céu aparece um lindo arco de sete cores.

O arco-íris só aparece
quando a luz do sol se encontra com as gotas da chuva.
Nós vemos a luz do sol branca,
mas é formada por sete cores:
vermelho, laranja, amarelo,
verde, azul, anil e violeta.
Quando a luz solar bate nas gotas de chuva
as cores misturadas separam-se
e aparece o arco-íris.

Mas se o dia for de sol brilhante
Você pode fazer seu próprio arco-íris.
Pegue a mangueira do jardim e deixe cair uma chuva fininha.
Então fique de costas para o sol e olhe para o jato de água.
Viu que lindo arco-íris?

arco-iris
Você pode usar esse arco-íris como papel de parede para o seu micro.

PostHeaderIcon Faça uma bússola

SEMPRE APONTANDO PARA O NORTE

Se você tem uma bússola,
não precisa esperar
por um dia ensolarado
ou uma noite estrelada
para ficar sabendo de que lado está o norte

O Pólo Norte é como um imã
que atrai para si o ponteiro da bússola
E é a razão porque o ponteiro da bússola
aponta sempre o norte

bussolacaseira

Você pode fazer sua própria bússola,
se tiver uma rolha de cortiça,
um imã e uma agulha de costura
Faça a rolha flutuar num pote cheio de água.
Passe a agulha no imã
umas cinco ou seis vezes,
para que ela fique magnetizada.
Mas tenha cuidado
em passá-la sempre na mesma direção.
Ai coloque a agulha sobre a rolha flutuante.
E a agulha girará tendo sempre uma extremidade
apontando para o norte.

PostHeaderIcon Saúde bucal para crianças – Tirinha da Mônica

saude-bucal
Conselhos da Mônica para uma saúde bucal

PostHeaderIcon jogos de bolinhas de gude

Bolinha de Gude

Bolinha de Gude

Relatos e registros históricos, arqueológicos e culturais sugerem que o jogo de bolinha de gude é um hábito é muito antigo, segundo o pesquisador Roberto Azoubel os primeiros relatos são do ano 3.000 a.C., quando bolinhas foram encontradas em túmulos egípcios dessa época. O Museu Britânico tem em seu acervo bolinhas da Ilha de Creta (Grécia) datadas de 2.000 a.C., feitas de materiais diversos. Também há registros da brincadeira no Império Romano, inclusive entre adultos, segundo o historiador Câmara Cascudo, autor do livro “Dicionário do Folclore Brasileiro

No Brasil, é chamada de bola ou bolinha de gude por quase todo território. Gude era o nome dado às pedrinhas redondas e lisas retiradas dos leitos dos rios. Em alguns estados e regiões ela ganha nomes variados, como:

Baleba – norte do Rio de Janeiro;
Bola de búrica – Paraná;
Búrica – região de Santa Catarina fronteiriça com o Paraná;
Bolinha de vidro – população luso-açoriana do litoral catarinense;
Chimbre ou ximbra – Alagoas;
Pereca – Pará Biroca – Minas Gerais (Bulinha em Belo Horizonte);
Bolita – Rio Grande do Sul.

Não se tem registro de bolinhas com o índio nativo brasileiro. Elas chegaram com os europeus, na bagagem lúdica das crianças portuguesas.

Para todas as modalidades, duas formas de jogos se apresentam: “à brinca” (quando o jogador mesmo perdendo o jogo, não perde suas bolas) e “à vera” (quando ele perde). Eis algumas modalidades conhecidas:

Lóca – se faz um buraco pequeno no chão, toma-se distância de mais ou menos 3 metros. Cada jogador escolhe meia dúzia de bolinhas, preferencialmente diferentes umas das outras. A partir disso, atira-se as bolinhas em direção ao buraco, o objetivo é enlocar. Começa quem conseguiu ficar mais próximo do buraco, cada vez que isto acontece (acertar o buraco), o dono da bolinha tem direito a retirar uma peça de cada jogador e torna-se o proprietário dela. Por isso que se dizia, “vamos jogar a ganhe [valendo] ou a brinques [não valendo]?” ;

Oca ou Roda (Niterói-RJ); Boca ou Búrico (Santa Catarina); Buraco (Cariri-CE) – compreende um círculo de mais de 2,50 metros de diâmetro com um buraco, pouco maior que a maior bola em jogo, no centro. Os jogadores, em número indeterminado, “tiram o ponto” lançando suas bolas em direção à buraca e tendo o cuidado de não “carambolar” ou “ferir” a bola do adversário. O que mais se aproximar dela será o primeiro, e assim sucessivamente, por ordem de afastamento. O primeiro tem direito a dar três “tecos”, em cada jogada, na bola de cada um dos adversários, usando palmo. O objetivo perseguido por cada jogador é introduzir sua bola na buraca. Para tanto, procuram se aproximar dela e afastar com “tecos”as bolas inimigas. Perde a vez quem deixar cair a bola da mão ou não atingir a bola do adversário;

Triângulo – desenha-se um triângulo no chão e cada jogador põe 3 bolinhas dentro do desenho, pode ser nos vértices ou dentro do espaço das 3 linhas. Tomada a distância novamente, atira-se as bolinhas em direção ao triângulo. Se acertar uma bolinha de um adversário e tirar ela para fora do triângulo, ela passa a ser sua. Na jogada, a sua bolinha tem que bater na outra e sair junto do espaço do desenho, senão perde a vez;

Mata-mata (Rio de Janeiro), Corridinha (Santa Catarina ou Corre-atrás (Pará) – É a mais simples das modalidades. É praticada por dois ou mais jogadores. O primeiro, via de regra por ter se adiantado aos outros e gritando “Primeiro”, lança a sua bola de gude numa direção qualquer. Segue-se o segundo, que procura atingi-lo; o terceiro; e assim sucessivamente, até voltar a vez do primeiro. Será vencedor quem conseguir eliminar os adversários por meio de “tecos”;

Béu, Zepe ou Cetriz (Niterói – RJ) ou Barca (Vitória – ES) – Num terreno plano de terra batida, risca-se um elipsoide com cerca de 15 cm de eixo maior e 7 cm de eixo menor, variando de acordo com a quantidade de bolas a ser depositadas nele. Cada jogador “casa” um determinado número de bolas no interior do oval. Tira-se o ponto: o jogador que mais aproximar a sua bola privativa da linha do béu, atirando-a de uma certa distância, será o primeiro. O objetivo é “matar” o adversário ou retirar, de um só “teco”, podendo usar o palmo, uma ou mais bolas do béu. Aquele que acerta, prossegue jogando até errar. Perde a vez se não consegue arrancar as bolas da cetriz ou deixa que a sua bola pessoal lhe escape da mão. O jogador atingido perde a partida e abandona o jogo;

Búlica (RJ); Papão (Lagoa Santa-MG e Espírito Santo); Búrica (norte do RJ); Burca (Alagoas); Peteca de Casas (Belém-PA) – Os jogadores devem cavar, no chão de terra, com ajuda de instrumento ou não, três pequenos buracos (búlicas) em linha reta, dispostos em ordem: primeiro, segundo e terceiro. Junto ao terceiro buraco, os jogadores atiram suas bolas de gude na direção do primeiro para “tirar o ponto”. O que mais se aproximar dele será o primeiro, os demais o seguirão na ordem estabelecida. A seguir, o primeiro atira a sua bola em direção do buraco 1. Se acertar, poderá dificultar a entrada dos oponentes afastando as suas bolas com três “tecos” em cada uma e tendo o direito de fazer mais uma jogada para entrar na “búlica” seguinte. Se errar, será a vez do segundo, e assim por diante. Tendo penetrado no buraco 1, o próximo objetivo do jogador é conquistar o buraco 2 e em seguida o buraco 3 (primeira de “papa”), para retornar, passando novamente pelo buraco 2 (segunda de “papa”), ao buraco 1 (terceira de “papa”). Aquele que consegue cumprir à risca esse percurso torna-se “papa”;

Chepinha (São Fidélis-RJ); Zepi (Petrópolis-RJ) – risca-se no chão uma figura em forma de arco, denominada “chepa”, no interior da qual dois meninos “deitam”- cada um – uma bola. Traçam-se duas linhas, uma de cada lado do arco e afastadas deste. Em seguida, tira-se o “ponto”. O jogador que fizer sua bola mais se aproximar de uma das linhas, previamente escolhida, será o dono do jogo. Caberá a ele indicar ao adversário o modo de lançar a bola, que será também o seu modo. O objetivo é retirar com toques da bola privativa – lançando-a de pé, ora de uma linha, ora de outra – as bolinhas casadas na “chepa”. Enquanto houver uma bolinha na “chepa”, o jogo prossegue. Se um dos concorrentes arrebatar as duas bolinhas, será o vencedor. Se, todavia, cada um retirar uma, o jogo terminará empatado;

Rapa-põe-tira-deixa (Rio de Janeiro) – consiste num grande retângulo traçado no chão e dividido em quatro partes, cada uma delas correspondente às palavras “rapa”, “põe”, “tira” e “deixa”, indicadas por suas iniciais. Paralela ao retângulo, fica a linha do “ponto”. Só dela, estabelecida a ordem de sucessão, os jogadores poderão lançar suas bolas pessoais em direção ao retângulo. Se a bola estacionar no compartimento correspondente a “rapa”, seu dono arrecadará todas as bolas em disputa, guardadas num local próprio ou sob a responsabilidade de alguém que não esteja participando da peleja. Se cair no “põe”, deve o jogador depositar o número de bolas correspondente ao combinado. Parando no “tira”, recuperará apenas o que “casou”. E, finalmente, no “deixa”, não ganhará nem perderá nada;

Circuito ou Caracol (Niterói-RJ) – O campo de jogo assemelha-se a uma raia de corrida com 10 cm de largura, situada entre dois elipsoides concêntricos, tendo mais ou menos 4 metros de eixo maior e 2 metros de eixo menor. Pode possuir também o formato de espiral ou caracol. Tanto em um como em outro, constrói-se uma série de obstáculos, tais como pontes, rios, fossas, elevações, labirintos, canais, túneis etc., de forma a dificultar a conclusão do circuito. Cada jogador tem direito a três jogadas com o uso do palmo e pode dar três “tecos” num só adversário ou em outros. Se sair da pista por qualquer motivo, deve voltar à estaca zero para recomeçar o percurso. Caindo num obstáculo, permanece ali até que todos o tenham superado. Ganha o jogador que primeiro concluir o circuito.

PostHeaderIcon Eu conheço um jacaré

jacare-colorido

Eu conheço um jacaré que gosta de comer
Esconda seu nariz
Senão o jacaré come o seu nariz e o dedão do pé

Eu conheço um jacaré que gosta de comer
Esconda seus olhinhos
Senão o jacaré come seus olhinhos e o dedão do pé

Eu conheço um jacaré que gosta de comer
Esconda suas orelhas
Senão o jacaré come suas orelhas e o dedão do pé

Eu conheço um jacaré que gosta de comer
Esconda sua boca
Senão o jacaré come sua boca e o dedão do pé

jacare-para-colorir
Clique no jacaré para ampliar e imprimir

PostHeaderIcon Tirinha do Cascão – História errada

historia-errada

PostHeaderIcon Dona Joaninha – Interpretação de texto para alfabetização

 Desenho de joaninha

Dona Joaninha

Olá, eu sou a Dona Joaninha, tenho seis patinhas que me levam  por aí.

Na minha cabeça tenho duas antenas para sentir o cheiro e gosto das coisas.

Minha comida preferida são outros insetos, alguns destes insetos que servem para me alimentar fazem mal às plantas.

Por isso muitos agricultores, aquelas pessoas que plantam e colhem, acham que eu sou benéfica, pois eu ajudo a diminuir o número de pragas e as plantinhas crescem felizes e dão muitos frutos.

Eu posso viver até cento e oitenta dias, cerca de seis meses, mas não sei se vou viver tanto assim, é que tem muito agricultor e até mesmo nas casas das pessoas, que passam veneno nas plantas, os chamados agrotóxicos, para matar os insetos que prejudicam as plantas e eu, que não faço mal a ninguém, acabo morrendo também.

Eu acho que não deveriam usar tanto veneno assim, eu e muitos outros insetos amigos meus, ajudam a acabar com várias pragas.

Os agricultores podiam nos contratar para acabar  com os inimigos das plantas, ia ser melhor para todo mundo, inclusive para o próprio ser humano,  já que não ia ter veneno na comida que ele come.

Mas já que isso nem sempre acontece, é bom lavar muito bem todas as verduras antes de comer, isso para ninguém correr o risco de ficar doente ou intoxicado.

Quantas patinhas tem a Dona Joaninha?

Para que servem as antenas da Dona Joaninha?

Porque a Dona Joaninha é benéfica para a agricultura?

Porque os agricultores não devem usar muito veneno?

Porque devemos lavar muito bem todas as verduras?

 

PostHeaderIcon As Principais características dos superdotados

superdotados

Criatividade
Curiosidade
Boa memória
Obstinação
Fácil aprendizagem
Iniciativa
Impaciência
Inconformismo
Vocação para liderança
Senso de humor
Egocentrismo
Elevado senso crítico
Independência e autonomia
Alto desempenho em determinadas áreas
Amplo conhecimento geral
Difícil sociabilização por falta de interesses em comum.
Alta capacidade de influenciar e ou liderar / adaptabilidade social / Empatia
Elevado senso competitivo
Autodidatas

PostHeaderIcon Adivinhações infantis engraçadas

boi

Por que é que o boi sobe o morro?
Resposta: porque não pode passar por baixo

Tem cabeça, tem dente, tem barba, não é bicho nem é gente, o que é?
Resposta: alho

Tem asa, tem bico, e fica em baixo da cama
Resposta: as pessoas irão respoder pinico, mas é bule! hehehe…o bule é meu eu coloco onde quiser!

Por que o boi baba?
Resposta: porque ele não sabe cuspir!!

Dois vizinhos. Um não vai a casa do outro e os dois não se vêem por causa de um morrinho ? Quem são eles ???
Resposta: Os olhos

O que a fechadura disse pra chave?
Resposta: Vamos dar uma voltinha?

É nome de mulher e nome de homem. Ia mas acabou não indo?
Resposta: Isaias: Isa-ias

O que mais se tira mas aumenta?
Resposta: O buraco.

O que é, o que é?
Me diga se for capaz.
Me diga quem é aquele
que num instante se quebra
se alguém diz o nome dele?
Resposta: O Silêncio

O que é que anda com a barriga para trás?
Resposta: A perna da gente.

O que é que se tem debaixo de um tapete do hospício?
Resposta: Um doido varrido

PostHeaderIcon Desenho animado muito engraçado sobre animais inflados

PostHeaderIcon Coelho

coelho

Os coelhos são mamíferos, caracterizam-se pela cauda curta e as orelhas e patas compridas. Esses mamíferos encontram-se facilmente em muitas regiões do planeta. O termo é utilizado para referir as espécies de oito gêneros, são herbívoros, ou seja, alimentam-se de folhas, caules, raízes e alguns tipos de grãos.

Um coelho pode viver entre 5 e 10 anos, uma fêmea em fase reprodutiva pode dar de 3 a 6 ninhadas por ano. Em cada ninhada podem nascer de 3 a 12 filhotes. Nas matas e florestas, vivem em buracos ou em tocos de árvores.

Os coelhos selvagens tem hábitos noturnos para fugirem de seus predadores, procuram alimentos durante a noite. Já os coelhos domésticos possuem hábitos noturnos e diurnos.

O peso varia de acordo com a raça ( de 2 kg até 9 kg). A maioria das raças tem por volta de 3 a 4 quilos na fase adulta, sua gestação é de 30 a 40 dias, possui cores diversificada, porém as mais comuns são preto, branco, malhado, amarelado e acastanhado.

www.animais.noradar.com

PostHeaderIcon Desenho de páscoa para colorir

desenho-de-pascoa_para-colorir

 

Conta a lenda de que uma mulher pobre coloriu alguns ovos de galinha e os escondeu, para dá-los a seus filhos como presente de Páscoa. Quando as crianças descobriram os ovos, um coelho passou correndo. Espalhou-se, então, a história de que o coelho é que havia trazido os ovos. Desde então as crianças sempre acreditaram no coelhinho da páscoa. O Coelhinho da Páscoa é a principal atração entre as crianças.

Nesse link você encontra mais desenhos de páscoa para colorir